Memórias sobre balbúrdia e desgoverno

Memórias sobre balbúrdia e desgoverno. Assim rabisco os primeiros os pilares. Penso na solidez das instituições que nunca alcancei. Hoje, todas elas capturadas numa grande teia fascista de interpretações e revisionismos. Segregações foram encaradas como realidade dada. Mergulhados como num mar de leite, não enxergam a luz do real à conduzi-los por um destino. Contudo,Continue reading “Memórias sobre balbúrdia e desgoverno”

Com a perna no mundo

A medida em que o ar começava a esfriar pelas brechas das janelas deixadas no ônibus a seus oitenta quilômetros por hora, eu recolhia os meus braços a proteger-me. As cidades se distanciavam através de uma cumprida calda de asfalto. Estendendo para trás os limites de aglomerados urbanos, que cuspiam para a paisagem pequenos pedaçosContinue reading “Com a perna no mundo”